24.4.08

rebelde sem causa



Dia desses, Naná chega pra mim:

- Mamãe, eu já sou gândi?
- Não, filha, ainda não.

Silêncio. Eu, curiosa, pergunto:

- Por quê, filha, você quer ser grande?
- Eu quero...
- E o que é que você vai fazer quando for grande?
- Tatuagem e ginástica!

Imagina só quando chegar aos dezoito...
=P

aprendiz de ermitã



Estrelinha na sala, sentada no sofá em silêncio, com carinha concentrada. Ana Luz chega:

Naná: Têla, você quer conversar um pouco?
Teté: Não, eu tô recolhida!

=P

11.4.08

soluções criativas



Teté: Mamãe, o que você tem?
Eu: A mamãe está com dor de cabeça, filha.
Teté: Então põe band-aid, ué!
=D

feminina



Ana Luz desde cedo dá mostras de que será uma menina vaidosa. Adora pentear o cabelo, colocar pulseira, colar, enfeitar-se e tal. Sempre vem me olhar quando estou me arrumando, e quando termino, solta um: "você tá linda, mamãe!". Nem preciso dizer que me derreto, né?

E já controla. Outro dia, eu passando hidratante no corpo e a pequena só de olho. Termino, devolvo o pote na prateleira e a pequena cobra: "na barriga também, mamãe!".

Eu posso com isso?

4.4.08

psicólogas de plantão



Conversa das pimentas:

Teté: Nalú, qual o seu pobêma?
Nana: O meu pobêma é que o meu irmão queria ir no barco, e aí tinha um bicho, uma aranha bem gandôna, e aí fez dodói.
Teté: Então vai na tia Selma, ué!
Naná: Tá bom. E você, Têla, qual é o seu pobêma?
Teté: O meu pobêma é que eu queria mingau, mas aí acabou tudo!
Nana: Faz ôto, ué!
Teté: Tá bom.

E la se foram as minhas pimentas brincar de outra coisa, felizes e contentes após a bem-sucedida sessão de aconselhamento mútuo...

=D

PS: 'tia Selma' é a pediatra das meninas.