30.6.10

Marchinha de Carnaval

//////
Mais uma que aconteceu já faz um tempinho (inho???) - historinha de carnaval. Naná, animada com tantas marchinhas pra lá e pra cá, resolveu compôr a dela... e ainda usou a irmã como personagem principal, vejam só:

se você pensa que a kiki é cachaça
a kiki não é cachaça não

cachaça vem do alambique
e a kiki vem do barrigão

Eu posso?

=D

28.6.10

Na-na-ni-na-não!

///
Chiarinha, do alto de seu 1 aninho de idade, acreditem, já aprendeu a dizer não. Bom, não dizer exatamente, mas o movimento veemente com a cabeça, a pequena se diverte repetindo. Desconfio que ainda não entendeu exatamente o que significa, mas acha o maior barato ficar sacudindo a cabeça pra lá e pra cá, toda vez que a gente pergunta alguma coisa. E quanto mais a gente se empolga perguntando - não? não vamos tomar banho?, ou não?? a kiki não é sem-vergonha?? - , mais a pequenina capricha, de lá pra cá e de cá pra lá, pra depois largar a cabecinha e rir aquela risadinha de gremlin que ninguém mais tem.

Ê, figurinha.

update: escrevi essa há uns dias atrás, e nesse meio tempo a pequenina já deu mostras aqui e ali de que sabe o que seu 'não' significa... dia desses, papai-pimentão pediu para a bichinha um pedaço do pãozinho que ela estava comendo, e a gulosinha... na-na-ni-na-nããão! garota esperta - e gulosa - ou o quê?

;-)

22.6.10

Grandes Questões da Humanidade... parte II

///
As cabecinhas perguntadeiras das minhas filhotas trabalhando a todo vapor:

- o que é que as pessoas dodóis fazem quando o moço que dirige a ambulância fica dodói? (by Naná)

- por que as folhas balançam com o vento, mas o sol não? (by Teté)

- por que quando o tempo passa, a gente se esquece das coisas que a gente não queria esquecer? (by Naná)

- se você tava esperando dois nenéns, por que você não ficou com duas barrigas, assim ficava mais confortável pra gente lá dentro? (by Teté)

=D

18.6.10

Kikiba-Furacão

///
Chiarinha está naquela fase que ninguém segura. Quer mexer em absolutamente tudo, especialmente no que não pode. Sai engatinhando toda pimpona pela casa, crente que já é independente e pode tudo o que quiser, e tem uma paixão toda especial por espalhar coisas que, antes dela chegar perto, estavam arrumadinhas.

Dia desses, arrisquei-me a dar o banho da noite nas mais velhas, e arrumá-las para dormir, antes de fazer o mesmo com a pequenina. Não é como faço normalmente, mas nesse dia Ana Luz e Estrela estavam especialmente cansadas, e questionaram: "porque a Kiki vai sempre primeiro, mamãe??". Fair enough.

Pois até que eu fiz tudo rápido, elas colaboraram e tals. Mas em menos de dez minutos, Chiara espalhou todos os cremes da prateleira do banheiro, abriu o pote de algodão e se divertiu fazendo chuva de bolinhas na própria cabeça, alcançou sabe-se lá como o rolo de papel higiênico e saiu deixando pedacinhos pelo caminho, crente que era uma personagem de João e Maria. Depois, entreteve-se enfiando os pedacinhos na boca e mastigando feliz da vida, enquanto me olhava com carinha sapeca de quem sabe ter feito o que não devia. Daí engatinhou até a ponta da escada e começou a esticar os bracinhos pra pegar os tênis das irmãs, que em questão de segundos já iam parando onde? Aham, na boca. Na sequência, foi até o quarto, lançou-se destemida sobre uma pilha de roupas limpas e passadinhas que repousava incólume sobre a cama e foi pegando, uma por uma, e espalhando ao redor. Fez um círculo de roupas, bonitinho, com uma bebê tagarela e sorridente no centro. Quando me dei conta, já era tarde pra impedir qualquer coisa. Só me restou rir, mesmo. Fazer o quê?

Peguei a bichinha, pedi ajuda das irmãs pra juntar as roupas espalhadas, que deixei num canto da cama pra dobrar e guardar depois, juntei todos os chumacinhos de algodão e pedacinhos de papel higiênico num canto do banheiro, tirei os que a pequenina insistia em esconder em um cantinho qualquer da bochecha gorducha, coloquei os cremes de volta na prateleira - e a mocinha até se animou a me ajudar, jogando pra dentro os potes em que conseguia pôr as mãos.

Lembrei da canção que escutava muito quando a pequenina ainda estava na barriga: "eu tô grávida / esperando um furacão". E não é que foi mesmo? Um furacãozinho arteiro, doce e sorridente, deixando atrás de si um rastro de alegria, amor e sorrisos.

;-)

16.6.10

Paulistana da Gema

///
Essa aconteceu já faz um tempinho (inho??), no começo do ano, quando São Paulo andava sofrendo com as chuvas e enchentes diárias. Eu andava pela rua com as três meninocas, quando Teté, apontando uma pickup toda enlameada estacionada ao lado, puxou a irmã e fez seu comentário, digno de uma paulistana da gema:

- Olha, Naná, ele passou na enchente!!!

Isso é que é adaptação ao meio, o resto é brincadeira...

=P

10.6.10

Lumiar

///
Ana Luz investigando:

- mamãe, quando eu tava dentro da sua barriga, era escuro?
- eu acho que era sim, filha.
- claro que era, né mamãe, porque você não podia comer luz!!!

=D

6.6.10

Uma Pequena Magali

///
Já faz um tempo que andei contando aqui como a Chiara, a princípio, não se interessou muito por comida. Até hoje, comendo já a comida da casa, frutas em pedacinho e tudo mais, a pequenina não é glutona não, come de pouquinho e, quando não quer, não adianta insistir, porque ela não come nem sob tortura!

Agora, tem uma coisa que a bichinha come com gosto, e se empanturra toda feliz da vida: melancia! Precisa ver a alegria da mocinha ao devorar os pequeninos pedaços avermelhados, com o suco da fruta escorrendo pelo queixo... lindeza!

E mais uma vez, curioso observar como cada criança é uma criança, mesmo, com seus gostos e particularidades, incomparável. Ana Luz e Estrela, hoje, são aficcionadas por melancia - como a mãe, aliás - , mas foi a fruta que elas mais demoraram pra pegar gosto. Devoravam com prazer banana, mamão, pêra - todas frutas para as quais Chiara não liga muito - , mas melancia, acho que só perto dos dois anos passaram a aceitar.

Pois é como eu sempre digo... cadum, cadum!!

=D

2.6.10

Inclinações Musicais

///
Nós no carro, som rolando. Começa a tocar uma música com longa introdução instrumental. Estrela, minha pequena musicista, vai explicando:

- Olha, mamãe, os tambores!!!

E em seguida:

- E agora o piano, mamãe!!!

Na hora certinha, acompanhando com perfeição as entradas dos instrumentos na música que tocava...

Posso babar? Só um pouquinho, vai??

;-)

1.6.10

Cantiga Mamífera

///
Conhecem a cantiga "palminha de são tomé"? É assim:

"palminha de são tomé
pra quando o papai vier
a mamãe faz papinha
e o papai faz cafuné!"

Bom, essa é a versão oficial. Agora, a versão da minha pequena mamífera Ana Luz:

"palminha de são tomé
pra quando o papai vier
a mamãe dá leitinho do peitinho
e o papai faz cafunéééé!"

Orguuuuulho!

;-)