29.6.08

roqueira


Outro dia, eu aqui no escritório, baixando mp3s para o celular. Estrela chega:
- Mamãe, qui voxê tá fazendo?
- Tô gravando música, filha.
- Quélo ouvi!!!
- Tá bom, filha, depois que eu acabar eu deixo você escutar...
- É Rói Tôni?
- O quê, filha?
- Rói Tôni!
- Não sei o que é isso não, filha...
- Rói Tôni, mamãe, igual do papai!!!

Precisei de mais umas repetições e tentativas de explicação em "estrelês" para sacar que a pimenta estava falando era dos Rolling Stones...

Terei uma futura roqueira do barulho em casa??

;-)

poliglota


Ana Luz já está aprendendo como é a vida em um mundo globalizado. Dia desses, a gente passando numa rua qualquer, a pequena avista um cartaz ao longe, cheio de desenhos coloridos.

- Mamãe!! O qui tá isquito ali?
- Não sei, filha... (miopia, favor compreender!)
- É inguêis?

=P

20.6.08

(in)sanidade



Final de tarde de domingo, pimentas pulando na cama:

Teté: Naná, vamo bincá di doida?
Naná: Mas a gente já é doida!
Teté: Ah, é!

=D

14.6.08

'marcela marmela martela'


Já faz um tempo que minha mãe comprou pras meninas um livrinho chamado "Marcelo, Marmelo, Martelo", que aliás eu tinha e simplesmente A-MA-VA quando era criança (quando o livro chegou em casa tive um ataque incontrolável de nostalgia, hehe).

O livro é da (bacaníssima) Ruth Rocha, e pra quem não conhece, conta a estória do Marcelo, um menino que um dia começa a pensar de onde vêm os nomes das coisas, e decide que vai passar a chamar tudo por nomes mais coerentes, por exemplo, cadeira de sentador, travesseiro de cabeceiro, e por aí vai.

Pois bem. As meninas adoraram o livro, já lemos e relemos umas cinquenta vezes pelo menos.

Outro dia, Ana Luz no banheiro, repassando para si mesma os detalhes da estória, falava baixinho: "travesseiro é cabeceiro, colherinha é mexedorzinho"... e de repente, olhando para o tapete, teve o insight, que dividiu na mesma hora comigo com um sorriso de orelha a orelha, de quem descobriu a América:

- tapete é pezeiro!!!!
- é, filha??
- é, porque é pra gente pôr o pé!!
=D

trocando as bolas


As meninas às vezes fazem umas confusões muito engraçadas com a linguagem. Trocam as bolas de um jeito que a gente morre de rir.

Dia desses, Estrelinha soltou duas pérolas.

As duas lado a lado, Ana Luz brincando com uma bolsinha, girando em torno de si, e toda hora a bolsinha batia na irmã. Na terceira vez, Estrelinha se encheu:

- Ai Naná!!! Essa sua bolsa tá muito machucada!!!

No mesmo dia, eu pegando ela no colo para colocá-la na cadeirinha do carro, pelo lado da rua. A pequena, toda prudente:

- Mamãe, eu não posso ir pelo lado da rua, senão o carro me atropeça!!!

=P

7.6.08

quem cuida tem!


Pimentas brincando na rua, em frente à casa nova, Naná na calçada, Teté no meio da rua (é uma rua tipo vila, estreita e com trânsito só de moradores).

Um carro vem vindo da esquina, devagarzinho. Naná desespera:

- Teté, vem Teté!! Vem pra calxada!! O carro tá vindo!! Vem, Têêêlaaa!!!

Teté vindo correndo, abrindo os bracinhos pra irmã:

- Ai... ainda bem que voxê cuida de mim!!!

Eu aguento?