25.6.16

do amor vezes três



"minhas filhas eu vejo que são três
e cada qual é da beleza irmã
(...)
vendo a meiguice da primeira filha
vejo a segunda que me prende e encanta
a mesma estrela que reluz e brilha
se olho a terceira, vejo a mesma santa.
se a cada uma com fervor venero
fico confuso sem saber das três
qual a mais linda e qual eu mais quero
(...)
e, já velho, a pensar de quando em quando
eu brevemente voltarei ao pó
eu sou feliz e morrerei pensando
que as três filhas que eu tenho é uma só."

(patativa do assaré)

12.6.16

do feitiço contra o feiticeiro


o cardápio do café da manhã das filhas, escolhido por elas: 

banana + pão de queijo de tapioca + shimeji refogado

aí eu estranho: 

- mas gente, ninguém come shimeji refogado no café da manhã!!

e a filha, fazendo o feitiço virar contra o feiticeiro:

- ué, mãe! e desde quando você segue as regras da sociedade??

fuén.

:-P

#DedinhosdeMoças #pimentinhas #Estrela

6.6.16

das lutas


aí você vira pras filhas logo de manhã e, como manda o protocolo: 

- primeiramente, Fora Temer! 'segundamente', vamos tomar café da manhã?

a menina, toda inflamada com justa indignação: 

- não, mamãe!!! primeiramente, Fora Temer! 'segundamente', Fora Cunha! 'terceiramente', Fora Aécio! 'quartamente', Fora Bolsonaro! e 'quintamente', Fica Dilma!

pense numa criança pronta para ir às ruas.

:-P

#DedinhosdeMoças #pimentinhas #AnaLuz

3.6.16

para bom entendedor

eu amo ser mãe.

é de longe o lance mais intenso, mais divertido, mais enriquecedor, mais empolgante, mais gratificante que eu já experimentei, nesses meus bem vividos trinta e sete aninhos de existência.

é sem dúvida alguma a experiência que mais me transformou (e ainda transforma), que mais me ensinou (e ensina), que mais me fez (e faz) crescer.

ser mãe das minhas três filhas, desde o momento em que pus os olhos nelas pela primeira vez e até hoje, fez e faz de mim uma pessoa melhor.

ser mãe é, pra mim, uma realização pessoal. eu não me sentiria completa, sem elas na minha vida. sem tê-las trazido ao mundo. sem experimentar a dor e a delícia de ensinar e aprender com elas, todos os dias.

não é cor de rosa. não é fácil. não é perfeito. mas é bom pra caralho.

eu canso. eu surto. eu tenho os meus medos, as minhas inseguranças, as minhas limitações, as minhas impossibilidades. mas até nelas, a maternidade me ensina. a acolher e aceitar, e a fazer o melhor sem esperar acertar sempre. ou a saber que estarei acertando, mesmo quando eu errar - porque terei dado o melhor de mim, naquele momento e naquelas circunstâncias. e isso é muito.

isso não significa que a minha vida fosse triste, ou vazia, ou sem graça, ou sem sentido, antes da maternidade. mas tem uma qualidade de presença, de olhar, de sentimento, de atitude, que eu só alcancei depois que elas vieram para fazer parte do meu mundo.

eu amo ser mãe.

e se você leu até aqui, por favor, faça mais um esforço e leia mais essa:

eu. estou. falando. de. mim.
de mim.

2.6.16

da poesia materna


a filha, lendo o meu texto de ontem no Uma Vez Mamífera

- mãe, você é poeta!
- por quê, filha?
- porque as suas palavras são fortes, e têm vida!

sabe aquele elogio que vale por uma existência inteira? então.

<3 span="">

#DedinhosdeMoças #pimentinhas #Estrela