29.4.11

Tu Cozinhas, Eu...

///

Estrela brincando sozinha, contando uma historinha sabe-se lá para quem:

- Era uma vez um moço e uma moça. A moça morava na cozinha...

Intrometo-me, já imaginando onde vai dar:

- E o moço, filha??

E a pequena, sem pestanejar:

- O moço morava no cuzinho, ué!!!

=D

27.4.11

Trocando as Bolas

///

Pimentas vendo as fotos da viagem. Estrela pergunta:

- Onde foi isso, mamãe?

E Ana Luz, rápida no gatilho:

- Foi na 'praia do Maracujá'!!!

Essa é minha filhota, rebatizando lindamente a cidade do Guarujá...

;-)

25.4.11

Chiara Buarque de Holanda - parte II

///

as inclusões mais recentes, no dicionário de 'chiarês':

iô - maiô
iáia - tiara
âm (ou pâm) - vamos
ti - aqui
êti - esse
ulá - bola
bâin - banho
mái - mais
hihi - xixi
têin - quente (ou gelado)
ôpa - roupa
umá - arrumar
ulá - celular
tetéin - sentar
bô não - não acabou
bô tá - acabou
tólo - colo
lé - colher
iláxa - bolacha
pepéu - papel (ou chapéu)
nanâna - banana
ir - sair
papâum - bombom

20.4.11

Imitando Quem?

///

Uma confusão linguística clássica, reinventada pela nossa pimenta-do-meio, Estrela:

- Mamãe, a Kiki tá 'imitando eu'!!!

- Me imitando, filha.

- O quê???

- A Kiki tá me imitando.

- Ah, a Kiki tá imitando você também??

=P

19.4.11

Cedo ou Tarde

///
Ana Luz e eu conversando sobre a dinda Didi, gravidinha do segundo filhote. A pequena quer saber:

- Mamãe, o neném da Didi é menino ou menina??

- Ela ainda não sabe, filha, ainda é muito cedo...

E a mocinha, intrigada, apontando para o céu escuro do lado de fora:

- Não é cedo não, mamãe, olha só, já é de noite!!!

=D

18.4.11

Ladra de Legumes

///

Dia desses, fui fazer uma torta de legumes para o almoço. Ana Luz e Estrela, como de costume, ao me ver cozinhando foram logo puxando seus banquinhos e posicionando junto ao balcão da cozinha, para me ajudar. Chiara, que quer fazer tudo igual às irmãs, logo veio também puxando sua cadeirinha, cheia de vontade de participar. Deixei.

Peguei os legumes picados, misturei em uma tigela, temperei e deixei ali, descansando, enquanto eu preparava a massa. Mas não atentei para a gulodice da minha pimenta-caçula. Pois quando eu viro de volta, lá está ela, de colherzinha na mão e bochechinhas cheias, devorando feliz da vida uma colherada de legumes atrás da outra. Se não sou rápida, não sobra nem pro recheio!!

Tenho em casa uma pequena ladra de legumes! Mereço?

=D

15.4.11

Tudo ao Contrário

///
Pouco depois do banho, Estrela, como de costume, já está com os cachinhos totalmente desgrenhados, despencando pelos cantos do rosto. Chego perto para arrumar, colocar para trás das orelhas. A bichinha reclama:

- Não, mamãe!! Eu não gosto que fique tudo arrumadinho... porque eu não sou arrumadinha!! Eu gosto que fique tudo bem bagunçado, assim, do jeitinho que eu sou!

Dizer mais o quê?

=D

14.4.11

Do Trabalho do Castor

///
Ana Luz, ao ver um toco de árvore afiado nas pontas, para servir de cerca:

- Olha, olha, olha!!! A árvore que o castor comeu!!

=D

13.4.11

'Pequeno Terremoto'

///
Chiara anda atentada que só ela. Tem se revelado uma verdadeira pimentinha! Durante as férias, a bichinha aprontou de um tanto que arrumamos pra ela um novo apelido: 'pequeno terremoto'. Juro que vou descobrir qual o termo pra isso em dialeto apache, e passa a ser o segundo nome da nossa caçulinha, eita!

Uma das boas que a mocinha inventou de aprontar aconteceu já aqui em São Paulo, na volta da viagem. A mais nova paixão dela é brincar de esconde esconde, e não tem conversa, ela quer fazê-lo nos lugares mais inusitados! Vai daí que, num passeio no shopping, sem qualquer aviso, de repente a pequena dispara por um corredor, entra numa loja e desaparece. Papai-pimentão, pimenta-mãe e pimentinhas mais velhas procurando alucinados, mas nem sinal da bichinha.

Foi aí que ouvimos uma risadinha, daquelas bem safadas. Fomos seguindo o barulhinho, e encontramos a pequenina toda sorridente, no meio da vitrine da loja, escondidinha entre os manequins, fazendo a alegria do pessoal do lado de fora!

'Pequeno Terremoto', alguém aí sabe como se diz?

;-)

12.4.11

Natureba

///
Ana Luz e Estrela comendo um biscoito integral, feito em casa. Chiara pede um, eu dou. Estrela, preocupadíssima com a alimentação da irmã:

- Mamãe!! A Kiki pode comer isso??? É 'saudáivel'?

=D

11.4.11

Festa de Neném

///
Meio da tarde, eu com as filhotas na cozinha, falando sobre a - futura - festa de aniversário. Ana Luz quer saber o que tinha na festa quando elas completaram um aninho de vida.

- Bom filha, tinha sanduíche de carne louca, tinha coxinha, salgadinhos, tinha bolo e brigadeiro... um monte de coisa!

- Mas a gente comeu tudo isso???

- Não filha, vocês eram muito pequenininhas, vocês não comiam essas coisas ainda!

- Puxa, mas então não era justo... essa 'comidada' toda e a gente não podia comer nada??

- Mas era pras outras pessoas que a gente convidou pra festa, filha.

- Mas se era festa de neném... todo mundo tinha que comer papinha!!!!

Dá pra contestar uma lógica dessas?

;-)

7.4.11

Formigueiro

///
Dia desses, logo pela manhã quando descemos para tomar café, encontramos no rodapé da cozinha uma roda infinita de formigas, todas ao redor de uma companheira morta.

Estrela, empolgadíssima, foi logo mostrar pras irmãs e contar sua versão dos fatos:

- Olha Naná, olha Kiki!! Uma formiga morreu, e as outras vieram dizer adeus...

:-)

5.4.11

Espelho, Espelho Meu

///
Ana Luz, minha pimenta com alma de perua (do bem!):

- Mamãe, por quê no carro tem espelho?

- Pra gente poder se olhar, filha.

- Mas por quê só tem aí na frente?? Tinha que ter um pra mim e um pra Teté e um pra Kiki aqui atrás também... aí eu ia o caminho inteiro olhando se o vento bagunçou meu cabelo...

Mereço?

=P

4.4.11

Transmimento de Pensassão

///
Mais um flagrante da incrível relação entre os gêmeos, por Ana Luz e Estrela:

- Não é, Naná, que quando a gente tava na barriga da mamãe era assim: eu te empurrava daqui, você me empurrava dali, eu te empurrava daqui, você me empurrava dali... e a gente falava assim: 'aiaiai'!!!

- Não, Teté, porque quando a gente tava na barriga da mamãe não dava pra falar assim pela boca... tinha muita água, então a gente abria a boca e só saía 'blrrrblrrr'...

- Mas então como fazia pra gente dizer as coisas uma pra outra que a gente tava pensando, Naná??

- Ah, Teté!! A gente fazia assim desse nosso jeito que a gente não precisa falar as coisas pra uma saber do que a outra tá pensando, que a gente só sabe... era assim!!

- É verdade, Naná... é verdade...

Loucura, doçura...

=D

3.4.11

Vendo Estrelas

///
Chiara tem um maiozinho com pequenas estrelas de borracha penduradas em uma das alças. Dia desses, a pequena pega o maiozinho, aponta e, sorrindo, exclama:

- Tatá!!

E eu, toda cheia de razão:

- Não, filha, o maiô não é da Tatá (como ela chama a irmã, Estrela), é da Kiki!

A pequena insiste:

- Tatá!!!!

Eu, teimosa:

- Filha, não é da Tatá, é da Kiki!!

A pequena pega o maiô e traz pra bem pertinho de mim, como quem quer esfregar na minha cara. Apontando a estrelinha colorida, já impaciente, reafirma:

- Tatá!!!!

Nas entrelinhas: 'entendeu agora, mamãe??'

;-)