29.5.09

você me ama...

conforme prometido, taí o vídeo das pimentas - as mais velhas, claro! - cantando a musiquinha do Barney que andaram aprendendo com os amiguinhos. é, do Barney, aquele dinossauro roxo e desengonçado, ele mesmo... as meninas nunca viram o desenho, mas os amiguinhos sim. é o que dá a gente não poder sempre escolher as companhias dos filhos... =P



26.5.09

Chiara

///
///
... estreando com o pezinho direito aqui no 'dedinhos de moças'.

aguardem, que essa pequena promete peripécias mil!

=P

21.5.09

as pimentas, aos quatro anos...

///

... têm uma vontade de ferro. já sabem bem o que querem e o que não. escolhem, palpitam, opinam em tudo, até do que não é da conta delas.
///
... são fanáticas por rosa. mais a Ana Luz, que é mocinha de tudo. gosta de bailarina, vestido, princesa, tudo o que é de 'mulherzinha'. aaaama se arrumar, pentear cabelo, colocar presilha, fazer trança. detesta ficar amassada, fica pê da vida se cai um pinguinho de água e molha a roupa toda bonita. adora um espelho, e vive perguntando, "eu tô linda, mamãe??". se a gente deixasse, já usava batom, sombra, blush, unha pintada e sei lá mais o quê. outro dia, a amiguinha da escola passou um esmalte de criança nas unhas dela. a criaturinha ficou umas duas horas com os dedinhos esticados, mãozinhas paradas, "pra num borrá". tem o sorriso doce mais delicioso do mundo. Estrela vai um pouco na onda da irmã, mas tem uma alma de moleca que não se esconde. gosta de rosa, mas acha bacana mesmo é "tudo cololido". tem um ursinho marrom-caramelo já todo surrado - era meu, antes dela descobrir - , que leva pra cima e pra baixo. quando o ursinho cai na rua, suja, meleca, e precisa lavar, é uma ladainha. até o bichinho secar, é de dez em dez minutos a lamentação, "eu num tenho meu ursiiiinho...". de uns dias pra cá, achou um fiozinho preto, amarrou no pescoço do urso, e o pobre vive estrangulado, arrastado pela coleirinha pra baixo e pra cima. e ai de quem tentar tirar o dito cujo das mãos dela. a pequena vira fera, não tem conversa. não liga muito pra arrumação, pede fivelas, amarrações no cabelo, tudo pra ficar igual à irmã, mas em cinco minutos já está tudo despencando, os cachinhos revoltos caindo pela testa. está sempre com manchas de comida pela roupa, molhada, toda desmilinguida. mas com um sorriso sem-vergonha que não lhe sai do rosto por nada.

... comem feito gente grande. de tudo, desde a comida do dia-a-dia, legumes, verduras, carnes, frutas, até as bobagenzinhas dos dias de festa, ou quando a gente sai da rotina. as preferências da Ana Luz são macarrão com molho de calabreza do papai, "qué linguuiiiiiça, mamãe", carne, batata de todos os jeitos, beterraba, repolho roxo, alface, tomate, palmito, melancia, uva, maçã e melão. Estrela devora com gosto chuchu, polenta com molho bolognesa do papai, abobrinha grelhada, brócolis, cenoura, vagem, moiachi, melancia, maçã, manga e banana. Ana Luz gosta mais de doce. Estrela, de salgado. ambas adoram cogumelo shitake refogado na manteiga. e comida japonesa. Ana Luz adora um guioza, hot roll e gohan. Estrela ama sushi, sashimi e temaki, de preferência tudo de salmão.

... adoram música, e dançar. palavra cantada, arca de noé, sítio do picapau amarelo e musiquinhas tradicionais infantis. saem rodopiando pela casa, contentes da vida, logo nos primeiros acordes. dançam juntas, separadas, pedem pra gente dançar junto. estão aprendendo os refrões, decoram uma musiquinha depois de ouvir umas três vezes - puxaram à mãe. recentemente, aprenderam uma musiquinha do Barney que repetem o dia todo, à exaustão, com direito a coreografia. depois coloco o vídeo aqui, pra vocês conferirem o charme.

... estão amando a escola, as atividades, as professoras e os amiguinhos. já têm suas preferências, embora gostem de todo mundo. Ana Luz adora Babi, a amiguinha mais docinha, delicadinha, menininha, da escola, que anda sempre de rosa e brilhinhos. Estrela curte mesmo a Lulu, mais bagunceira, mais moleca, que está sempre pulando, correndo e aprontando.

... amam desenhar. Ana Luz já faz umas forminhas que a gente reconhece. as pessoas têm cabeça, olhinhos, nariz, boca, cabelinho, pernas e braços. tudo meio desforme, fora de proporção, mas liiiindo, lindo. e ela explica tudo direitinho, aqui é isso, ali é aquilo outro. Estrela já pega os giz de cera caoticamente, rabisca pra lá e pra cá, mas vem com o desenhinho na mão e descobre um universo em meio ao caos: isso é uma nuvem, aquele é um cavalo, essa é uma árvore, aqui é o papai. Ana Luz usa as cores com parcimônia, vira e mexe faz um desenho todo cor-de-rosa, ou cor-de-vinho. pra Estrela, quanto mais, melhor. os desenhos delas são verdadeiros arco-íris em papel sulfite.

... acordam as duas tagarelando. engraçado que uma acorda, não dá cinco minutos, acorda a outra também. se fosse combinado, não dava tão certo. e a gente começa a ouvir lá do nosso quarto as duas num blábláblá interminável. dali a pouco, uma delas sugere, "vamo vê se o papai e a mamãe acordaram?", e lá vêm elas, pé ante pé. se a gente ainda está dormindo - ou fazendo de conta, pra ganhar uns minutinhos a mais na cama - elas voltam pro quarto, ficam brincando disso e daquilo, e a gente só ouvindo do lado de cá. quando vêem que a gente acordou de vez, esperam um sinal de 'receptividade' e logo pulam na nossa cama, pra fazer bagunça em família.

... continuam fanáticas por livrinhos, mas a moda agora é contar historinha, ao invés de ouvir. não que elas não ouçam mais, ouvem sim, e ainda pedem pra contar. mas estão descobrindo a magia de inventar os enredos, fantasiar com as figuras. sentam do lado da gente e dizem, "eu vou te contá uma histólia", e lá vêm as invenções mais mirabolantes, cheias de fantasia e criatividade. contam uma pra outra, também. e a ouvinte fica quietinha, atenta, cai na risada aqui e ali.

... riem juntas, que é uma delícia. fazendo palhaçada uma pra outra, que a gente nem entende, mas elas sim. uma faz micagem, a outra ri, a primeira engrena na risada também, e assim ficam um tempo interminável. a gente, ouvindo, acaba rindo também, de gosto, mesmo sem nem saber qual era mesmo a graça.

... amam ir dormir na casa da "vovó Lilica" - a outra vovó, vovó Rede, é querida também, é claro, mas é que não dormem na casa dela - , fazem a maior festa, e sempre perguntam se vai ter 'sopa de feijão', eleita como a iguaria símbolo da casa da avó. fazem a festa, brincam, rolam no chão, usam e abusam. avó é pra isso, ou não é?

... cada vez mais, ampliam seu mundinho, curtem novas relações, divertem-se com os tios, padrinhos, irmãos mais velhos, avós, amigos, de um jeito delicioso. convidam todo mundo pra brincar. mas tem que ir devagar. nada de chegar abraçando, querendo beijo, apertando. tem que ir no tempo delas, deixar elas se ambientarem. quando é assim, logo elas ficam à vontade, começam a inventar brincadeiras, a fazer palhaçada, a rir de tudo e de todos. belezinha.
///
... adoram banho. são capazes de passar umas duas horas na banheira, enrugadinhas, se a gente deixar. levam uma porção de brinquedinhos, bonequinhos, baldinhos, colherinhas, copinhos e sabe-se lá mais o que, e inventam a torto e a direito. uma hora, a banheira é o castelo das princesas. outra hora, é a festa de 'nivesálio'. logo em seguida, vira parque de diversões, pra mais tarde virar floresta, escolinha, piscina e o que mais a criatividade inventar.

... andam querendo ser independentes. querem fazer as coisas sozinhas, sem ajuda, reinvindicam seus direitos. servir comida, comer, vestir, etc, etc, etc. adoram por pasta na escova de dente. Ana Luz quer sempre vestir calça e meia sozinha, Estrela tem mais preguiça, só pede de vez em quando, mas também sabe. já escolhem o que querem comer - e comem mesmo. sempre que a gente pede ajuda em alguma coisa, elas vêm correndo, orgulhosas, capazes. e ajudam. mas de vez em quando não querem, e não fazem cerimônia: "tô cansaaaada, mamãe!!!".

... trocam tudo por um sorvete, de preferência de chocolate. comem se lambuzando, deixando respingar por todos os lados, manchando as roupinhas. a gente deixa, que gostoso de ser criança é isso mesmo. criança que não se suja não é criança. e elas ainda se divertem quando a gente fala que vai botá-las 'no tanque' pra lavar tanta meleca.

... têm se interessado pelas letras e números, reconhecem as letras do próprio nome, adoram brincar de dado e ver que número cai, contam tudo o que vêem pela frente e querem saber o que está escrito em todo lugar. depois que a gente diz, fingem ler também, acompanhando com o dedinho, silabicamente. fofura. Ana Luz já pega um papel e diz que vai escrever, e faz uma porção de rabisquinhos enfileirados, com um cuidado que dá gosto de ver. e escreve dentro das linhas, certeirinha. Estrela, se diz que vai escrever, já faz logo uma porção de rabiscos imensos a la Basquiat. depois vêm as duas 'traduzir' o que escreveram.

... são companheiras, tão companheiras. uma sempre preocupada com a outra. se uma ganha uma coisa, logo quer saber se a outra vai ganhar também. se uma chora, a outra logo quer saber porque, e sai feito doida tentando achar um jeito de resolver o problema. quando uma fica com medo de fazer alguma coisa, a outra vai junto. quando uma não consegue, a outra ajuda.

... estão cada dia mais doces, cada dia mais charmosas, cada dia mais engraçadas, mais divertidas, mais apaixonantes. eu me pego a toda hora lambendo as crias de longe, toda apaixonada, emocionada, admirada e sei lá mais o quê. fico besta de ver como aquelas duas coisinhas pititicas, que há quatro anos nasciam de mim, cresceram, apareceram. como vêm descobrindo quem são, definindo seus espacinhos no mundo, exercendo sua liberdade tão inteira. e como sorriem poesia. e como transbordam felicidade. e como contaminam tudo à sua volta de sonho, beleza, pureza. bom demais.

nossas mocinhas estão crescendo. são irmãs mais velhas, já - a caçula ainda não nasceu, mas já é a caçula, ora bolas!!. fazem carinho na barriga, conversam com a irmãzinha, chamam por ela, brincam, fantasiam, imaginam, esperam. vão cuidar da pequenina com todo o carinho do mundo, disso não tenho a menor dúvida.

minhas lindas, dividir a vida com vocês tem sido um presente divino, muito mais imenso, inteiro, divino-maravilhoso do que eu poderia esperar.

amor grande demais do mundo, como vocês dizem. e que cresce, mais e mais, a cada segundo.
///

15.5.09

das parcialidades maternas

'rosa e azul', versão de Renoir:
///

'rosa e azul', versão da família-pimenta:


alguém tem alguma dúvida de qual eu prefiro??
;-)

13.5.09

diálogos insanos (ou nem tanto), II

///

Teté: eu sou a moça brava!!
Naná: e eu sou a moça feliz!!
Teté: então tá bom!
Naná: moça, por que você tá brava??
Teté: porque você tá feliz!!

=P

2.5.09

pimenta na tpm

///

Estrela, em um momento de mal-humor indisfarçável:

- mamãe, eu acho que eu não vou comer comida, porque eu tô muito 'inrritada'...

;-)

candidata a parteira

///

Dia desses, eu deitada na cama, as pimentas brincando do lado. Ana Luz se aproxima de mim e decreta:

- Eu sou a patêla!

Logo se aproxima da minha barriga e começa a apalpá-la delicadamente. Pega uma garrafa, e anuncia:

- Eu vou ouvi o colaçãozinho da Kiki!!

Encosta o ouvido na tampa da garrafa, encosta a outra ponta da garrafa na minha barriga, escuta atentamente por alguns segundos. Logo, sentencia:

- Tem 6 quilos!!

Em seguida, pega uma blusa esquecida em cima da cama, e explica:

- Vô vê a 'pessão'!!

Enrola a blusa no meu braço, aperta, aperta, e logo solta:

- Tá boa, a 'pessão'!

Desce da cama, vai saindo do quarto. Antes de sair, vira pra mim e pede:

- Quando a Kiki for nascê, você me avisa que eu venho correndo!!!

Terei em casa uma futura aluna da Usp Leste?

;-)