23.1.08

um dois, feijão com arroz



Ana Luz contando:
- um, dois, têis, cáto, cinto, dez, dizenovi, vinte e dez!

Estrela contando:
- um, dois e... já!

As duas contando juntas:
Estrela: um, dois, três, cáto! tá bom, Naná?
Ana Luz: não, Teté, tem que tê um cinto tamém!!

estarão minhas pimentas prestes a revolucionar a matemática moderna?

=D

17.1.08

a pensadora



Agora de manhã, Ana Luz me pede um papel e giz para desenhar. Levo a pequena para a sala, dou papel e e giz, vejo Estrelinha sentada no sofá com carinha concentrada. Pergunto:

- Teté, quer desenhar também?
- Não. Eu tô pensando!

Terei em casa uma futura filósofa? =P

priorizando



Minha pimenta primogênita começa a entender a difícil arte de estabelecer prioridades:

- Filha, me dá um abraço?
- Pimêlo eu vô vê desenho, depois eu abaço!

14.1.08

moças sinceras



Estrela debruçada na ponta da mesa da sala, na ponta dos pés, se esticando toda para alcançar um potinho de tinta guache.
- Teté, o que você queria fazer com a tinta?
- Bagunça!!

Ana Luz no quarto, encontra uma caneta marca-texto perdida entre os brinquedos na cama. Eu, mais do que rápido, tiro da mão dela dizendo que essa não é brinquedo.
- Mas eu piciso da taneta!
- Precisa pra quê, filha?
- Pra pintá a parede!!

Tenho em casa duas mocinhas bagunceiras, mas muuito sinceras! =D