23.9.07

capitalismo selvagem



As meninas já estão, desde cedo, aprendendo a entender a relação com o dinheiro, recorrente e inevitável nesse mundo (infelizmente) capitalista em que vivemos. Dia desses:

Naná (para Teté): tem mais dinheiro, mãe? (sim, acreditem ou não, elas já brincam de 'mamãe e filhinha entre si!)
Teté: acabou tudo! (olha aí a consciência da situação familiar, rs)
Naná: cê vai compá mais, mamãe?
ah, se fosse assim tão fácil...

Outra:
Teté: toma dinhêlo!
Naná: bigadu!
(Naná faz um movimento com as mãozinhas, como quem atira algo longe)
Naná: jogô tuuuudo fola...
Teté: obaaa!
Qual será o futuro destino das minhas pimentas: desapegadas ou perdulárias?? ;O)

17.9.07

quem conta um conto...



o fato: semana passada, estavam as pimentas alegres e contentes tomando banho na piscininha que fica(va) dentro do box, mamãe pimenta sai tranquilamente para pegar as toalhas no quarto ao lado. De repente, eis que escuta um estrondo imenso, seguido de gritos apavorados das pimentas. Coração quase saindo pela boca, mamãe-pimenta voa feito um raio até o banheiro, e lá chegando, encontra suas pequenas pimentinhas chorando assustadas em meio a um mar de caquinhos do vidro da porta estourada do box blindex. Com uma serenidade que nem sabe de onde veio, mamãe-pimenta tira uma por uma da piscininha, limpa os pequenos cortes feitos pelas lascas do vidro e dá graças por não ter acontecido nada além desses pequenos arranhões. Cinco minutos depois, mamãe-pimenta ainda tremendo feito gelatina por dentro, e suas destemidas pimentinhas já pulavam de um lado para o outro na cama, rindo do acontecido e decidindo: 'num góta di vidu não, mamãe!'.

a versão da Naná: aí, u vidu quebô. aí, machutô a Teté. aí, saiu sândi. a Naná num machutô. a Naná tava du lado lá. i a Teté tava du lado ati. aí a mamãe tirô a Teté. i a Naná também. aí a mamãe passou pêmi na Teté. i aí melhorô. i tinha pedra nu meu petôço. aí a mamãe tirô. aí ela passô a fralda molada. aí passou tudo.

a versão da Teté: viiiduuu tebô. tolô tuuudo. aí dodói. Teté i Naná. mamãe têmi. aí tudo bom.

Conclusão 1: para banheiros de criança, nada melhor que a boa e velha cortina de plástico!
Conclusão 2: se isso aqui fosse um concurso de síntese, eu tava lascada...
:O))))