23.5.10

poeminha de aniversário

///
há 5 anos, vocês chegaram
há 5 anos me transformaram
fizeram de mim o que antes não era

e de cada dia, começo de primavera

há 5 anos vocês nasceram

em minha vida, amanheceram

estenderam suas mãozinhas curiosas
fizeram de coisas boas, maravilhosas

há 5 anos, pela vida caminham

quando têm medo, comigo se aninham
a cada pequeno passinho, vocês ensinam
deliciam, surpreendem, fascinam

com vocês eu aprendo tanto, tanto
poesia, doçura, leveza e encanto
com vocês, sou criança de novo
cresço de bocadinho, suspiro e renovo

com vocês por perto, tudo tem sua graça

tem mais entrega, não tem mentira e nem trapaça
é a vida de peito aberto, vida de verdade

tem gosto de alegria, de cabelo ao vento e de liberdade


há 5 anos a vida é outra
mais inteira, mais intensa
há cinco anos, é vida louca
feita de toque, carinho e presença

a cada ano que passa, eu amo mais
a cada ano que passa, desejo mais
a cada ano que passa, deliro mais
a gente ri e chora junto, é bom demais

a vocês, um obrigada de todas as cores
um obrigada aos meus amores
obrigada, minhas vidinhas
obrigada, minhas companheirinhas

inhas? não, não
deixa a rima pra lá
inhas não são, nem pensar
companheironas, é o que sempre serão

pra elas,
brincando de poetizar.

21.5.10

Quem Vem Pra Beira do Mar...

///
///

///
///
///

///
///
///
///... nunca mais quer voltar ...

10.5.10

Eu e Ela, Ela e Eu

///
Ter uma irmã gêmea deve ser mesmo uma experiência fantástica. Só vivendo pra saber.

Ana Luz e Estrela, de vez em quando, soltam umas pérolas que fazem a gente ficar pensando como deve ser bacana ter essa vivência...

Dia desses, Teté, que tinha ido para a escola sozinha em um dia em que a irmã não estava 100% e quis ficar em casa:

- Eu não gostei quando a Naná ficou em casa e eu fui! Porque eu e a Naná, a gente nasceu junto, e a gente 'foi fazido' junto, então a gente é como assim se fosse uma, quase quase a mesma pessoa, só que diferente, assim, eu no meu corpinho e ela no dela...

E Naná, respondendo à filosofia da irmã:

- É que a Teté, ela ficou tão junto comigo, a gente apareceu no mundo quase grudada, e a gente veio junto da barriga da mamãe, então é como se ela fosse assim um pedacinho meu... e quando ela não fica comigo eu fico com muita falta dela!

Dá pra não derreter de ternura???

:-)

4.5.10

Miss Dentinhos

///
Tá, os dois (que agora descobrimos que são três, porque dois nasceram grudadinhos de um tanto que parecem um só!) dentinhos da nossa pimentinha-caçula já apareceram faz tempo. Acho que lá pelos 9 meses, e ela tá com 11, já. Mas foi só agora que a gente conseguiu uma foto bacana, um close no sorrisinho gostoso - e já não mais banguela!!