2.7.13

Ana Luz e o primeiro livro


A primeira vez, sabem como é, a gente nunca esquece.

A primeira vez de um filho, também não.

Ana Luz, minha pimenta-primogênita, anda às voltas com o primeiro livro 'de verdade' da sua vidinha. Digo 'de verdade' porque livrinhos com histórias curtas e muitas figuras, ela já lê há algum tempo.

E logo de primeira, já escolheu bem: foi de Pedro Bandeira, 'O Mistério da Fábrica de Livros'. Sugestão e empréstimo da cunhada (dela) Aninha, que acertou na mosca. Pedro Bandeira, diga-se de passagem, foi um dos autores emblemáticos da minha pré-adolescência (é, os Karas formaram meu caráter).

Filha de peixe, peixinha é - por isso, a bichinha se atracou com o livro e devorou em dois dias. Foi com o livro aberto para o café da manhã, para o trajeto de carro, levar a irmã ao retorno com a pediatra, para o almoço, para a janta, para a escovação de dentes e para a cama.

É, minha menina. Você cresceu, e eu quase que nem vi. E como é bonito te ver assim, descobrindo uma paixão que também é a minha, folheando as páginas de um mundo todo novo, imenso, tão grande quanto esse seu coraçãozinho curioso.

Daqui pra frente, meu amor, é ao infinito e além.


Um comentário:

Anônimo disse...

Ah, que legal!!! Fico feliz que ela tenha gostado!

De onde veio esse tem muitos mais, só escolher! =)

Aninha